EM QUE CREMOS...

CREMOs




1) Cremos nas Escrituras Sagradas, que elas são divinamente inspiradas e proveitosas para ensinar, para repreender, para corrigir, para instruir em justiça, sendo elas a fonte de nossa fé e prática (2ª Timóteo 3:16).

2) Cremos que somos membros da Igreja de Cristo a qual também é a Noiva, a Esposa e o seu Corpo Divino, sendo Ele a Cabeça de todo o Corpo, e que nos guia e edifica para expressarmos a sua gloria sobre a terra, até a consumação dos séculos. Também não aceitamos que a igreja seja transformada ou associada a qualquer organização humana que exerça controle de suas ações aqui na terra. (Colossenses 1:24) (Efésios 5:23) (1ª Coríntios 12:27).

3) Cremos que o Novo Testamento é a realidade para a igreja, e nele está contida a “Doutrina dos Apóstolos”, e que a Igreja teve seu início no dia de pentecostes, fato descrito nos Atos dos apóstolos (Atos 2).

4) Cremos que o Antigo Testamento é como sombra do que haveria de se cumprir, daquilo que foi profetizado, e, que para a igreja foi estabelecido um Novo Pacto (Novo Testamento), para com Deus, sendo assim desnecessária qualquer prática contida nesta Antiga Aliança, sendo ela (Igreja) composta pelos membros do Corpo de Cristo (Hebreus 10:1, 8:13) (Colossenses 2:8, 20-23).

5) Cremos que ninguém na Igreja deve ser chamado ou conhecido por quaisquer títulos (pastor, padre, bispo, presbítero, diácono), pois um só é nosso Mestre (Cristo) e todos nós somos irmãos, não havendo assim entre nós distinção entre clérigos e leigos (Mateus 23:8).

6) Cremos no sacerdócio universal de todos os salvos, e que todos devem exercer seus dons nas reuniões, dons estes que são concedidos pelo Espírito Santo e não pelo homem (1ª Pedro 2:5) (Efésios 4:7-13).

7) Cremos que nosso Deus é único e se expressa na Pessoa do Pai, Filho e Espírito Santo; sendo o Nosso Senhor Jesus a imagem do Deus invisível que se revelou a nós (Deuteronômio 06:4) (Colossenses 1:13-23) (1ª Timóteo 1:12-17).

8) Cremos que o Senhor Jesus Cristo é Deus que se fez homem (encarnação), morreu (crucificação) e ressuscitou (ressurreição) para Salvação de todo aquele que Nele crê e o invoca de coração puro como Senhor de sua vida, e que o mesmo Jesus foi assunto aos céus (ascensão), e do mesmo modo que ele foi, irá voltar para buscar (arrebatar) a Sua Igreja Gloriosa (João 1:1-14, 3:16) (1ª Timóteo 3:16) (2ª Timóteo 2:22) (Romanos 10:13) (Atos 1: 9-11).

9) Cremos que todos os mandamentos da lei judaica se resumem em amar a Deus sobre todas as coisas e ao nosso próximo como a nós mesmos, e que estes são todos aqueles que se encontram ao nosso alcance, e que só podemos expressar o nosso amor pelo Senhor, servindo e amando os nossos irmãos (Marcos 12:28-33) (1ª João 04:20).

10) Cremos que como um testemunho da unidade em nossa cidade, devemos considerar, respeitar e acolher a todos aqueles que confessam Jesus Cristo como seu Senhor e Salvador, ainda que estes não estejam se reunindo conosco e que não adotem as nossas práticas da expressão da vida da Igreja (João 17:22) (Efésios 4:3) (1ª Coríntios 1:10-13).   

11) Cremos que Deus, o mesmo que fez o mundo e tudo o que nele há, sendo ele Senhor do céu e da terra, não habita em templos ou santuários feitos por mãos humanas. (Atos 7:48, 17:24).

12) Cremos que nós somos o templo do Deus vivo, consubstanciado em que, “Cristo, como Filho, sobre a sua própria casa; a qual casa somos nós”, se tão somente conservarmos firme a confiança e a glória da esperança até o fim (Hebreus 3:6) (1ª Coríntios 3:9) (2ª Coríntios 6:16).

13) Cremos que hoje, para a confirmação das escrituras Sagradas, existem falsos mestres pregando leis da antiga aliança entre os cristãos, e estes chegam a ser líderes que outorgam para si títulos que dão azo a proliferação da doutrina anti-bíblica de clérigos e leigos, que muitos males têm trazido à vida da igreja. Estes falsos mestres ensinam doutrinas fora do contexto neo-testamentário (Atos 20:28-30) (Mateus 24:24) (Isaías 56:10-11) (Ezequiel 34:10).

14) Cremos nos Dons Ministeriais à luz de Efésios 4:11 e 12, a saber: apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres, com vista ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço e edificação do Corpo de Cristo”. Estes dons são dados à Igreja, pelo Senhor Jesus, e que os mesmo não são designações para os contemplados por eles, somente o Senhor Jesus é digno de ser chamado de nosso Pastor e Bispo (Romanos 12:4-8) (Efésios 4:7-13) (1ª Coríntios 12:1-31) (Salmos 23:1) (Ezequiel 34:15) (João 10:11, 14, 16) (1ª Pedro 2:25) (1ª Timóteo 2:5) (Hebreus 13:20).

15) Por reconhecermos Jesus Cristo como nosso Senhor e Autor de nossas vidas, devemos  praticar o invocar o Seu Santo Nome constantemente, e, que todo o novo cristão, recém-convertido deve, a exemplo do conselho dado ao apóstolo Paulo pelo irmão Ananias, receber o batismo, lavar os seus pecados e invocar o nome do Senhor Jesus. (Atos 2:21, 7:59, 9:2 e 22:16) (Romanos 10:13) (2ª Timóteo 2:22) (Filipenses 2:9-11) (2ª Pedro 1:2).

16) Assim como as igrejas expressas no livro de Atos, se reuniam de casa em casa, nossas reuniões também acontecem nos lares dos respectivos irmãos, onde lembramos a morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, partimos o pão, oramos e perseveramos na Doutrina dos Apóstolos e na comunhão uns com os outros (Atos 2:42-46, 12:12, 20:7, 20:20) (Romanos 16:5) (1ª Coríntios 10:16) (1ª Coríntios 16:19) (Colossenses 4:15) (Filemom 01:2) (1ª João 1:7).

17) Cremos que só existe uma Igreja em cada cidade, e que a mesma compreende todos os santos daquela localidade, independente do grupo ou da forma em que se reúnam (Atos 8:1, 13:1) (Romanos 1:7, 16:1) (1ª Coríntios 01:2, 10:17) (1ª Tessalonicenses 1:1) (Apocalipse 1:4, 11).

18) Cremos que o dízimo é uma lei da Antiga Aliança, o qual era pago anualmente com alimentos e não dinheiro (Deuteronômio 14:22-26) (Malaquias 3:10) (Mateus 23:23), portanto o mesmo não é para a Igreja de Cristo. Não vemos base para este costume judaico na Igreja, uma vez que não encontramos o exemplo e incentivo à esta prática na Doutrina dos Apóstolos, tendo em vista que este item, o dízimo, fazia parte da lei de Israel. As necessidades da Igreja e de seus membros são supridas através de coletas voluntárias de seus membros, como proposto em seu coração. Sendo de suma importância que o irmão dê a sua contribuição voluntária e com alegria, esta é a forma prática cristã de contribuir (1ª Coríntios 16:1-3) (2ª Coríntios 09:7-9).

19) Cremos que o batismo com água, independente da forma, seja por imersão ou aspersão, deve ser ministrado ao que crê em Jesus Cristo como Senhor de sua vida. Este batismo o introduz para dentro do Pai, Filho e Espírito Santo em Nome de Jesus Cristo. Tornando assim o batizado membro do Corpo de Cristo que é a Igreja. (Atos 10:47-48, 11:16, 16:33, 18:8, 10:48) (Romanos 06:4) (1ª Coríntios 12:13) (Efésios 04:5).

20) Cremos que todo aquele que crê e recebe a Cristo em seu coração, está apto para ser batizado, não sendo necessário nenhum curso para ser membro da igreja, pois não é o homem que inclui o salvo no Corpo, mas somente o Senhor Jesus (Mateus 28:19) (Atos 2:38, 8:36, 9:18)

21) Cremos que não deve haver nenhuma liturgia em nossas reuniões, e nem um "modelo" pré-estabelecido, buscamos o fluir do Espírito para nos mover e inspirar, então todos são livres para compartilhar e funcionar nas reuniões. As reuniões regulares da igreja são: de oração, partir do pão, estudo da Palavra e assembléia de serviço (ou administrativa) quando necessário se faz (1ª Coríntios 12:12-31, 14:26-33).

22) Cremos que não poderíamos ter um livro, conhecido entre as diversas religiões, como “Livro do rol de membros”, pois a Igreja para nós é composta de todos os santos que desde o dia de pentecoste quando ela nasceu, foram incluídos na Igreja, até o último dia da Igreja nesta terra, incluindo aqueles que ainda hão de se salvar, por tanto o número de membros é incontável, são tantos como a areia da praia. Aleluia! Pois o Pai conhece a cada um de nós, e nos chama pelo nome (Apocalipse 03:5, 07:9, 13:8, 19:1-6, 20:12-15).

23) Cremos na Segunda Vinda do Senhor Jesus Cristo, no fim da era da Igreja aqui na terra, onde os mortos, os que dormem em Cristo, ressuscitarão primeiro, e nós os que estivermos vivos seremos transformados, e juntos iremos encontrar com Cristo nos ares, onde se estabelecerá o Tribunal de Cristo, sendo os salvos ali julgados segundo as suas obras, e que deste julgamento resultará em galardões e Reino Milenar para os vencedores, mas, para os outros salvos néscios, que não produziram boas obras, resultará em pranto, choro e ranger de dentes, nas trevas exteriores, e estes sofrerão o dano da segundo morte. Mas que após o milênio todos os salvos entrarão na Nova Jerusalém, que do céu descerá para a nova terra, e até mesmo aqueles amados irmãos, que foram salvos em Cristo mas não alcançaram vida para reinarem, estarão na Nova Jerusalém, pois Cristo, a semente que fora plantada nos seus respectivos corações, é uma semente incorruptível, e que mesmo que demore 1.000 (mil) anos ela brotará e florescerá com a incorruptibilidade aquele servo que havia sido néscio em seu viver humano. E que nesta Santa Cidade, a Noiva do Cordeiro, viveremos para sempre com Cristo por toda a eternidade. (Mateus 24:30-44) (1ª Tessalonicenses 4:15-18) (2ª Pedro 3:8-13) (Apocalipse 1:7-8, 21:1-10).


Estas são a base do que cremos, e se constituiu do que temos visto e temos aprendido, contudo, “em nada pomos a nossa fé senão na graça do Senhor Jesus”. Amém.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares